Anúncios

Revista Virtual de Artes, com ênfase na pintura do século XIX

Posts com tag “Alfred Stevens

Reverie

22.alfred-stevens_reverie

"Refugia-te na Arte" diz-me Alguém
"Eleva-te num vôo espiritual,
Esquece o teu amor, ri do teu mal,
Olhando-te a ti própria com desdém.

Só é grande e perfeito o que nos vem
Do que em nós é Divino e imortal!
Cega de luz e tonta de ideal
Busca em ti a Verdade e em mais ninguém!"

No poente doirado como a chama
Estas palavras morrem… E n’Aquele
Que é triste, como eu, fico a pensar…

O poente tem alma: sente e ama!
E, porque o sol é cor dos olhos d’Ele,
Eu fico olhando o sol, a soluçar…

Florbela Espanca

Pintura: Reverie – Alfred Stevens (Bélgica, 1823-1906)


Reverie.-Janos Laszlo Aldor (Hungarian, 1895-1944)

JANOS LASZLO ALDOR (Hungria, 1895 -1944)


Heart On Her Lips And Soul Within Her Eyes by John William Godward

JOHN WILLIAM GODWARD (Reino Unido, 1861-1922)


Anúncios

Trio: Mais do mesmo…

Josef Gisela (1851-1899) Young women on a balcony

JOSEF GISELA (Áustria, 1851-1899)


-alfred stevens-

       At. ALFRED STEVENS (Bélgica, 1823-França, 1906)


ladies with a balcony-conrad kiesel

CONRAD KIESEL (Alemanha, 1846-1921)



GALERIA: Alfred Stevens (Bélgica)

ALFRED ÉMILE LÉOPOLD STEVENS
(Bruxelas, Bélgica, 11 de março de 1823 – Paris, França, 29 de agosto de 1906)

Proveniente de uma família envolvida com as artes visuais: seu irmão mais velho Joseph (1816-1892) e seu filho Léopold (1866-1935) eram pintores, enquanto outro irmão Arthur (1825-1899) era um negociante e crítico de arte. Seu pai, que havia lutado nas guerras napoleônicas no exército de Guilherme I, na Holanda, era colecionador de arte.
Em 1837, após a morte de seu pai, Stevens deixou o ensino médio para começar os estudos na "Académie Royale des Beaux-Arts", em Bruxelas, onde conheceu François Navez (pintor neoclássico e ex-aluno de Jacques-Louis David), diretor da academia e um velho amigo do avô de Stevens. Em 1843, foi para Paris, juntando-se a seu irmão Joseph e foi admitido na "École des Beaux-Arts", a mais importante escola de arte de Paris, onde Ingres era então professor.
Seu primeiro trabalho exibido publicamente foi em 1851, quando três de suas pinturas foram admitidas no Salão de Bruxelas. Foi premiado com uma medalha de terceira classe no Salão de Paris em 1853, e uma medalha de segunda classe na Exposição Universal de Paris em 1855.
Duas outras pinturas exibidas no Salão da Antuérpia naquele ano, introduziram temas de "la vie moderne" (mulheres modernas e elegantes), para os quais ele ficou conhecido. Em 1858, casa-se com Marie Blanc, que veio de uma rica família belga e de velhos amigos dos Stevens. Eugène Delacroix foi testemunha na cerimônia.
Em 1863, recebeu o título de Cavaleiro (Chevalier) da Legião de Honra  do governo francês e, em 1867, ganhou uma medalha de primeira classe na Exposição Universal em Paris e promovido a Oficial da Legião de Honra.
Lutou pelos franceses durante o cerco de Paris na Guerra Franco-Prussiana, mas voltou para a Bélgica com sua esposa e família antes da Comuna de Paris. Após a guerra, Stevens continuou a ser aclamado pela crítica e teve grande sucesso com os colecionadores.
Em 1878, tornou-se Comandante da Legião de Honra e recebeu outra medalha de primeira classe e, em 1881 Grande Oficial na Ordem de Leopoldo.
Durante a década de 1880, com problemas financeiros e despesas adicionais dos verões passados à beira-mar (por recomendação médica), o artista fez um acordo com um comerciante de Paris, Georges Petit, que lhe ofereceu 50.000 francos para financiar suas férias em troca das pinturas que  produzisse durante esse período. Este acordo, que durou três anos, tornou o mar um tema importante para suas obras e durante o resto de sua carreira pintou centenas de pontos de vista de resorts populares ao longo da costa da Normandia e do Midi no sul, muitos deles pintados com influência dos impressionistas.
Em 1900 foi homenageado pela "École des Beaux-Arts", em Paris, com a primeira exposição retrospectiva já dada a um artista vivo. Apoiado por patronos liderados pela "Comtesse de Greffulhe", alcançou o prestígio social e o sucesso popular. Foi o único artista vivo autorizado a expor em uma mostra retrospectiva da arte belga em Bruxelas, em 1905. Apesar dessas exibições, não conseguiu vender o suficiente de seu trabalho para superar seus problemas financeiros.  Morreu em Paris em 1906, vivendo sozinho em quartos modestos.


GALERIA ALFRED STEVENS

Alfred Stevens (1823 - 1906) - The exotic trinket

Young woman resting in a music room- Alfred Stevens (Belgian, worked in France, 1823-1906)Alfred-Stevens-TrahiePerplexit9.Alfred Stevens_

Avant le Spectacle-Alfred Stevens

Stevens_Alfred_Sa_majeste_la_Parisienne_1880

l´emotionnée_Alfred Stevens

7-alfred-stevensthe letter-alfred stevens-a paris -le bibelot-Alfred StevensAlfred Stevens (1823-1906) La neigeALFRED STEVENS, Eva Gonzalèz no Piano, 1879Alfred Stevens - memories and regretspensive-alfred stevens6.Alfred Stevens (Belgian 1823-1906)

MAIS PINTURAS: ALFRED STEVENS



Trio: Alfred Stevens (Bélgica)

avant le bal-Alfred Stevens

Une soir a la mer - Alfred Stevens (belgian painter)

11.Alfred Stevens_

ALFRED ÉMILE LÉOPOLD STEVENS
(Bruxelas, Bélgica, 11 de maio de 1823 – Paris, França, 24 de agosto de 1906)


Trio: “Depois do baile”…

after-the-ball-conrad-kiesel

CONRAD KIESEL (Alemanha, 1846-1921)


After the Ball - Henri Gervex

HENRI GERVEX (França, 1852-1929)


after the ball_Alfred Stevens (belgian painter)

ALFRED STEVENS (Bélgica, 1823-1906)



Um autor, duas obras: Alfred Stevens

5.Alfred Stevens (Belgian 1823-1906)femme au balcon_Alfred Stevens

ALFRED STEVENS
(Bruxelas, Bélgica, 11 de maio de 1823 – Paris, França, 29 de agosto de 1906)


Um autor, duas obras: Alfred Stevens

alfred stevens -42Girl Looking in the Mirror - Alfred Stevens

ALFRED ÉMILE STEVENS

(Bruxelas, Bélgica, 11 de maio de 1823 – 29 de agosto de 1906)


Contemplação…

Adrien Moreau (French, 1843-1906) - L’Attente, 1903

Contemplo o lago mudo
Que uma brisa estremece.
Não sei se penso em tudo
Ou se tudo me esquece.
O lago nada me diz,
Não sinto a brisa mexê-lo
Não sei se sou feliz
Nem se desejo sê-lo.

Trêmulos vincos risonhos
Na água adormecida.
Por que fiz eu dos sonhos
A minha única vida?

Fernando Pessoa

Pintura: Adrien Moreau (Pintor francês, 1843-1906)