Anúncios

Revista Virtual de Artes, com ênfase na pintura do século XIX

Posts com tag “Pintores suiços

Nossas marcas no tempo…

le-vieux-schnapseur-un-jules-avec-verre-de-schnaps-1900-Albert Anker

NOSSAS MARCAS NO TEMPO…

Trago dentro do meu coração,
Como num cofre que se não pode fechar de cheio,
Todos os lugares onde estive,
Todos os portos a que cheguei,
Todas as paisagens que vi através de janelas ou vigias,
Ou de tombadilhos, sonhando,
E tudo isso, que é tanto, é pouco para o que eu quero.

(Passagem das Horas – Poema de Álvaro de Campos, heterônimo de Fernando Pessoa)

Pintura: Albert Anker (Suiça, 1831-1910)


Anúncios

Trio: Fritz Zuber-Buhler (Suiça)

jeune fille au bouquet de fleurs des champs_Zuber-BuhlerFRITZ ZUBER-BUHLER (SWISS 1822-1896)-the summer roses

the flower gatherer-Zuber-Buhler

FRITZ ZUBER-BUHLER
(Le Locle, Suiça, 6 de novembro de 1822 – Paris, França, 23 de novembro de 1896)

MAIS: BIOGRAFIA


Trio: Albert Anker (Suiça)

Albert Anker (1831-1910) menina dormindo em um banco de madeiraAlbert-Anker_Schlafender_Knabe_im_HeuSleep AlbertAnker

ALBERT ANKER

(Ins, Suiça, 1 de abril de 1831- Ins, Suiça, 16 de julho de 1910)


Um autor, duas obras: Fritz Zuber-Buhler

Fritz Zuber-Bühler (Swiss, 1822–1896) Daydreamingf zuber-buhler_

FRITZ ZUBER-BUHLER
(Le Locle, Suiça, 1822 – Paris, França,  23 de novembro de 1896)


Um autor, duas obras: Fritz Zuber-Buhler (Suiça)

Fritz Zuber-Buhler (1822-1896) - A Little Rougefritz zuber buhler-admiration

FRITZ ZUBER-BUHLER
(Le Locle, Suíça, 1822 – Paris, França, 23 de novembro de 1896)


Um autor, duas obras: Albert Anker (Suiça)

Älterer Mann beim Zeitunglesen_Albert Anker

Mann beim Suppe essen_Albert Anker

ALBERT ANKER (Suiça, 1831-1910)


Poema à boca fechada

Anker_Trinker

Não direi:
Que o silêncio me sufoca e amordaça.
Calado estou, calado ficarei,
Pois que a língua que falo é de outra raça.

Palavras consumidas se acumulam,
Se represam, cisterna de águas mortas,
Ácidas mágoas em limos transformadas,
Vaza de fundo em que há raízes tortas.

Não direi:
Que nem sequer o esforço de as dizer merecem,
Palavras que não digam quanto sei
Neste retiro em que me não conhecem.

Nem só lodos se arrastam, nem só lamas,
Nem só animais bóiam, mortos, medos,
Túrgidos frutos em cachos se entrelaçam
No negro poço de onde sobem dedos.

Só direi,
Crispadamente recolhido e mudo,
Que quem se cala quando me calei
Não poderá morrer sem dizer tudo.

José Saramago

Pintura: Albert Anker (Suiça, 1831-1910)


Um autor, duas obras: Fritz Zuber-Buhler

Fritz Zuber-Buhler (Swiss, 1822-1896)-Le premier dejeunerFritzZuberBuhler-the_spirit_of_the_morning

FRITZ ZUBER-BUHLER

(Le Locle, Suíça, 1822 – Paris, França, 23 de novembro de 1896)