Anúncios

Revista Virtual de Artes, com ênfase na pintura do século XIX

Últimas

Pintura:: Um autor, duas obras

AlfredStevens-as78Alfred_Stevens_Der_prüfende_Blick

ALFRED EMILE-LÉOPOLD STEVENS

(Bruxelas, Bélgica, 11 de maio de 1823 – Paris, França, 29 de agosto de 1906)


Anúncios

Temas da Pintura: Cães – 2

jean-baptiste-greuze(4)-James_John_Hill

JEAN BAPTISTE GREUZE                                                                                JAMES JOHN HILL


carl-reichert-4-felix-schlesinger-3-

CARL REICHERT                                                                                                              FELIX SCHLESINGER


a_quiet_read-EdwinHarris

EDWIN HARRIS


Knight_Daniel_Ridgway_A_New_Puppy_1912

DANIEL RIDGWAY KNIGHT


edmund-adler-52-

EDMUND ADLER


john gerald brown

JOHN GEORGE BROWN


AUGUST DIRCKS


Presença…

flower018

É preciso que a saudade desenhe tuas linhas perfeitas,
teu perfil exato e que, apenas, levemente, o vento
das horas ponha um frêmito em teus cabelos…
É preciso que a tua ausência trescale
sutilmente, no ar, a trevo machucado,
as folhas de alecrim desde há muito guardadas
não se sabe por quem nalgum móvel antigo…
Mas é preciso, também, que seja como abrir uma janela
e respirar-te, azul e luminosa, no ar.
É preciso a saudade para eu sentir
como sinto – em mim – a presença misteriosa da vida…
Mas quando surges és tão outra e múltipla e imprevista
que nunca te pareces com o teu retrato…
E eu tenho de fechar meus olhos para ver-te.

Mario Quintana

Escrevo diante da janela aberta…

Alice_Dalton_Brown_Summer_Breeze
Escrevo diante da janela aberta.
Minha caneta é cor das venezianas:
Verde!… E que leves, lindas filigranas
Desenha o sol na página deserta!
Não sei que paisagista doidivanas
Mistura os tons… acerta… desacerta…
Sempre em busca de nova descoberta,
Vai colorindo as horas cotidianas…
Jogos da luz dançando na folhagem!
Do que eu ia escrever até me esqueço…
Pra que pensar? Também sou da paisagem…
Vago, solúvel no ar, fico sonhando…
E me transmuto… iriso-me… estremeço…
Nos leves dedos que me vão pintando!

(Mário Quintana)

Temas da Pintura: Amizade (5)

"Amigo, para mim, é só isto: é a pessoa com quem a gente gosta de conversar, do igual ao igual, desarmado. O de que um tira prazer de estar próximo. Só isto, quase; e os todos sacrifícios. Ou — amigo — é que a gente seja, mas sem precisar de saber o por quê é que é."

Guimarães Rosa


GALERIA – AMIZADE – 5

350-georg-frederick-chester

GEORG FREDERICK CHESTER


EmilioMagistretti

EMILIO MAGISTRETTI


Friends-LouiseBreslau

LOUISE BRESLAU


wilhelm-menzler--8

WILHELM MENZLER


frank-moss-benett-

FRANK MOSS BENETT


p-a-renoir--

PIERRE AUGUSTE RENOIR


theo-van-rysselbergh--9

THEO VAN RYSSELBERGH


vittorioRegianinni (2)

VITTORIO REGGIANINI


Poesia

JenniferGordon

Quando a poesia surge,
a cabeça fervilha em imagens.
Revivemos os fatos, os sentimentos brotam,
E as palavras vão aparecendo.

Quando fazemos poesia,
compomos com os conteúdos de passado.
Analisamos no presente.
Edificamos o futuro.

Quando fazemos poesia,
A nossa alma chora ou ri.
Os pensamentos vão se esclarecendo.
A vontade se concretizando.

Quando fazemos poesia,
elaboramos a crítica ou homenagem,
alertamos  ou elevamos o  homem.
Às vezes os conteúdos são claros,
outras vezes, os conteúdos são tão confusos.

Há tantas cores, imagens e sentimento,
na  nossa alma e no pensamento.
Que torna difícil as palavras saírem,
em forma de rimas e versos.

Então eu me pergunto:
De onde provem tanto movimento e velocidade.
Se aqui estou parado, na minha individualidade ?

Jane Baruki Ferreira

%d blogueiros gostam disto: