Revista Virtual de Artes, com ênfase na pintura do século XIX

A pálida luz da manhã de inverno…

Emile-Eisman-Semenowsky-Winter

A pálida luz da manhã de inverno, 
O cais e a razão 
Não dão mais esperança, nem menos esperança sequer, 
Ao meu coração. 
O que tem que ser 
Será, quer eu queira que seja ou que não. 
No rumor do cais, no bulício do rio 
Na rua a acordar 
Não há mais sossego, nem menos sossego sequer, 
Para o meu esperar. 
O que tem que não ser 
Algures será, se o pensei; tudo mais é sonhar.
 

Fernando Pessoa

Pintura: Inverno – Emile Eisman Semenowsky (pintor franco-polonês, 1857-1911)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s