Revista Virtual de Artes, com ênfase na pintura do século XIX

As duas flores…

 
São duas flores unidas
São duas rosas nascidas
Talvez do mesmo arrebol,
Vivendo,no mesmo galho,
Da mesma gota de orvalho,
Do mesmo raio de sol.
Unidas, bem como as penas
das duas asas pequenas
De um passarinho do céu…
Como um casal de rolinhas,
Como a tribo de andorinhas
Da tarde no frouxo véu.
Unidas, bem como os prantos,
Que em parelha descem tantos
Das profundezas do olhar…
Como o suspiro e o desgosto,
Como as covinhas do rosto,
Como as estrelas do mar.
Unidas… Ai quem pudera
Numa eterna primavera
Viver, qual vive esta flor.
Juntar as rosas da vida
Na rama verde e florida,
Na verde rama do amor.
 
(Castro Alves)
_________________________________________________________________________
 

Uma resposta

  1. andreia

    Grande Castro Alves…
    Lindo esse poema!!
    Isso demonstra quão bom gosto e sensibilidade vc tem…
    Sem dizer de todo o restante do seu space, feito com tanto cuidado e tantos detalhes.
    Belissima arte-cultural!!!
     
    Ótima semana p/ ti.
    Qdo puder aparecer…ficarei feliz!!
    Encontrei seu link no espaço do amigo Jorge.
    bjksss millll

    Curtir

    24/10/2006 às 15:52

Deixe uma resposta para andreia Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s